segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Abortar ou parir: Mais que um dilema moral, é uma questão pessoal.

Por Nat Valarini

Que tema mais delicado, não é mesmo?
Antes de escrever sobre o assunto, pensei muito se deveria fazê-lo tendo em vista todos os comentários que devem vir a seguir: muitos retaliando por serem de opinião contrária, alguns dando apoio e outros em cima do muro (com receio de dar seu ponto de vista e serem mal vistos) por ser um assunto espinhoso sobre o qual muitos preferem não opinar.
Como eu quero mais é que as críticas venham, dou início à discussão sobre o direito mais primordial: o direito à vida.
Antes que os fanáticos pensem que estou do seu lado, deixo claro que para mim esse direito não se resume a simplesmente botar mais uma boca no mundo. Sendo bem parcial, acredito no direito à vida, mas com qualidade. Infelizmente, casais desinformados, pessoas promíscuas e desajustadas, mesmo com tanto acesso à informação ainda se expõem aos riscos do sexo sem proteção adequada e isso, além de aumentar o número de pessoas contaminadas pelos mais variados tipos de DST’s, jogam no mundo criaturas que não pediram para nascer e, sabe-se lá qual será o futuro delas. A gravidez não planejada ainda possui outro aspecto: a violência sexual, principalmente, a que ocorre dentro do silêncio, protegida pela falta de denúncia. Esta é uma praga geradora de chagas na sociedade e também de crianças sem perspectiva de vida.
Pois bem, quer saber minha opinião: sou a favor do aborto.
Isso mesmo, eu dou todo apoio!
Provavelmente vou ler críticas, principalmente de religiosos, porém as instituições capengas que criticam os métodos anticoncepcionais e também o aborto, não dão comida nem educação aos filhos dos miseráveis. Eu creio em DEUS, mas eu não acredito que Ele queira ver as mães explorando crianças no sinal para pedir esmola. Levando a questão para a responsabilidade dos governantes, tenho a certeza de que uma boa parcela do governo quer mais gente burra, faminta e dependente para votar de quatro em quatro anos, não investindo assim em políticas de educação e saúde para evitar que as famílias se multipliquem como bactérias que se reproduzem por divisão binária.
Pelo contrário, alguns políticos criam mais programas assistencialistas ‘únicas alternativas’ como vale gás, fome zero, bolsa escola, bolsa família, entre tantas outras bolsas que não funcionam como deveriam na prática, ao invés de investir também em educação que abre a cabeça e transforma pessoas, tornando a nação brasileira no país dos marsupiais (para quem não conhece o termo, marsupial é um animal que gera seus filhotes em bolsas, como os cangurus e gambás), então nosso povo está como estes bichos, gerando seus filhotes dependendo de bolsas, mas principalmente, dependentes do governo. Coitados!
Sim, cidadão de bem que paga seus impostos, para aqueles que dominam a situação política e econômica neste nosso ‘Brasilzão’, quanto mais infortúnio para o povo, melhor para eles. Deste modo as pessoas tornam-se mais dependentes deles, mais fáceis de serem dominadas. Não se engane com as promessas e favores, eles dão o peixe, mas não ensinam ao pobre a arte de pescar. E para quê? Para que a ‘dona Maria’, o ‘senhor José’ e sua penca de filhos os elejam na esperança de ganhar um teto, que nunca vem, ou se vem, com certeza é longe do caminho onde seus carros importados circulam. Sim, estou sendo dura, mas a vida real não é cor de rosa e a fome não tem uma carinha de bebê caucasiano gordinho e rosado.
Quem tem fome não pode esperar, principalmente, quem tem filhos famintos não consegue aguardar ser ‘presenteado’ com o benefício do Estado. Problemas sociais, como o aumento da criminalidade e o desemprego, caminham na mesma via da taxa de natalidade.
O fato é que casais que têm menos filhos, conseguem se estabilizar financeiramente, têm uma vida profissional mais regrada e, com isso, mais acesso a educação e cultura, podendo oferecer aos seus descendentes, condições iguais ou até melhores oportunidade de vida. Quanto menor o grau de escolaridade e a renda da família, maior o número de seus rebentos o que diminui drasticamente o acesso às necessidades básicas, logo, aquele ditado popular que afirma que "onde come um comem quinze" é pura balela para ludibriar trouxa.
Não tirem conclusões precipitadas achando que eu sou alguém cruel e que não pensa em outras saídas alternativas como a adoção, acho isso louvável. Porém, no Brasil tudo é lento e burocrático (em parte com razão, na maior parte das vezes, desnecessário) e já é sabido que há vários casais tentando adotar, mas que esbarram na lentidão da justiça e novamente afirmo: as crianças não podem esperar!
Mais uma vez, menores de idade são castigados pelo abandono das suas famílias e morosidade dos órgãos responsáveis por lhes dar um novo lar. Mal educados, em todos os sentidos, eles crescem e são despejados no mundo-cão, sem bagagem de vida, sem profissão, às margens dessa sociedade hipócrita que insiste em empurrar pela nossa goela que a vida é semelhante a uma novela.
Deixo claro que não sou a favor da banalização mas sim da legalização do abordo. Sou absolutamente contra a postura de mulheres sem consciência que têm filhos a torto e a direito e que recorram sempre ao aborto ao invés de se prevenir, agir assim, de forma leviana com a própria saúde, é tomar uma atitude burra e impensada. Em todo caso, há métodos contraceptivos, todos muito eficientes, na falta ou falha dos mesmos, ainda é possível recorrer à pilula do dia seguinte. Acredito que o aborto deve ser a última alternativa, mas se for preciso, que seja feito e que seja garantido por lei.
Se, para você, meu ponto de vista é amoral, eu esfrego em sua cara que pior do que estas palavras vomitadas é a hipocrisia. Cabe a gestante decidir se deve ou não prosseguir com sua gravidez, não cabe a mim, muito menos a você, pois a decisão sobre o que fazer com o próprio corpo, será sempre da mulher.
Direitos humanos garantem também a liberdade de expressão. Mais que um dilema moral, esta é uma questão pessoal. Deixo para todos uma reflexão: Se o aborto é mesmo um crime, comece a recolher todas as crianças maltratadas, participe ativamente de movimentos em prol da adoção mais rápida, faça uma ‘limpeza’ nas ruas, não dê um peixe em forma de esmola ao pivete do sinal para saciar sua fome só naquele instante. Se você crê tanto em DEUS use a máxima do ensinamento cristão para com o seu próximo: ensine-o a pescar, pois ele comerá não apenas hoje, mas para sempre.

Para saber mais:


O espaço do blog está aberto aos comentários e discussões. Por que você é contra ou a favor? Chegou a estas conclusões por si só ou algum moralista socou estas idéias na sua cabeça?

Quem é a contra ou a favor do aborto diga seus motivos de forma sensata, explane suas idéias e respeite quem discorda. Muitos pais e escolas não ensinam, mas democracia se faz assim!

Como disse Mahatma Gandhi: " A intolerância é em si uma forma de violência e um obstáculo ao desenvolvimento do verdadeiro espírito democrático."

Page copy protected against web site content infringement by Copyscape


Creative Commons License
Abortar ou parir: Mais que um dilema moral, é uma questão pessoal. by Nat Valarini is licensed under a Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil License.
Based on a work at garotapendurada.blogspot.com.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://garotapendurada.blogspot.com/.

84 comentários:

  1. tema complicado esse não?!
    esses dias atras já entrei em uma discussão por causa do mesmo tema em outro blog...
    A minha opinião é: Aborto deve ser feito (com aprovação da gestante) caso exista risco de vida da mãe em levar a gravidez adiante ou em caso de estupro( esse é um assunto que irei refletir mais a respeito)
    Acho que quando a gravidez não é planejada, o aborto deveria ser restrito.Nesse caso, acho que assumir é o correto!

    Opinião pessoal> cada um tem a sua.

    ResponderExcluir
  2. Esse assunto vai dar pano pra manga!
    Bom, eu sou católico praticante, coordeno um grupo de jovens há 4 anos, sou catequista de crisma e desde que me entendo por gente vivo dentro da igreja... Mas tem várias coisas na igreja que eu não concordo e uma delas é a posição da igreja em relação ao aborto.
    Tbm acho melhor uma criança nem chegar a vir ao mundo do que vir e "viver" em péssimas condições e criadas por pais irresponsáveis...
    Mas é uma opinião pessoal, não discuto por causa disso, apenas falo quando é pertinemte o momento como agora por exemplo...
    Parabens pelo texto e pela coragem de opinar fortemente sobre um assunto tão delicado!
    bjO*

    ResponderExcluir
  3. É amiga isso é uma questão dificil...vai longe essa conversar! Mais eu sou contrar o aborto.
    blz! Adorei seu blog.

    ResponderExcluir
  4. Apesar de ser um tema complexo, pois envolve várias ideologias, você conseguiu deixar bem claro a sua idéia.

    Gostei do seu blog, quando estiver com mais tempo irei ler os posts mais antigos...

    Obrigado pelo comentário lá,
    um abraço!

    ResponderExcluir
  5. Sou a favor somente nos casos de estupro. Somente...
    Abcs

    ResponderExcluir
  6. po muito bom , gostei do seu jeito , parabéns

    http://animes-augusto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. gostei de sua decisão quando lançou post e expôs de antemão a sua opinião (por mais que alguns viessem a discordar).
    questão dificil essa, hein?

    eu, particularmente, sou a favor do aborto apenas em alguns casos (como por estupro, por exemplo)

    mas a discussão está lançada. Respeito todas as opiniões, afinal, estamos em um pais democratico

    belo post Nat. Abraços!!

    ResponderExcluir
  8. bom vou deixar aqui minha opinião pessoal.

    você se lembra quando estava com menos de 3 meses de vida? creio que não lembramos, acho que nós estamos vivos porém ainda não conscientes, axo q devemos sempre pensar antes sobre isso, eu acho que depende da mulher, não poderiamos dizer nem q eh certo ou errado.
    _________________

    http://tecnijogos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Minha opinião pessoal:

    Caso minha mãe tivesse optado por um aborto, com certeza eu não estaria aqui escrevendo estas coisas no blog e realizando tantas coisas importantes, porém se ela decidisse impedir qualquer gestação que teve, ainda que fosse a minha, eu continuo achando que a decisão é da mulher.

    Sei que muitos vão falar que é fácil falar, pois me tornei um ser humano e não um aborto, porém meus pais tiveram condições de criar a mim e a minha irmã de forma decente e com condições para nos tornarmos cidadãs de bem e conscientes.

    Se fosse para ter tido uma vida miserável e repleta de exploração de diversas formas, eu iria preferir com certeza não ter nascido.

    Veja bem, estou respondendo à sua pergunta e complementando o texto com minha opinião pessoal. Mesmo discordando, respeito suas idéias e afirmo que se quiser complementar seu comentário, o espaço continua aberto.

    ;)

    ResponderExcluir
  10. Como já falaram aí, sou a favor apenas em caso de estupro e quando a mãe ou a criança correm risco de morte. Conheço duas pessoas que já abortaram e a pior coisa para uma mulher, fisicamente e principalmente psicologicamente. Minha mãe abortou numa gravidez anterior a minha por ser de alto risco. Entretanto, na minha vez, ela resolveu ter! E tô eu aqui bem vivinha. Claro que minha situação é diferente, família com condições financeiras.

    Por isso, respeito seu ponto de vista, bem argumentado. Entendo perfeitamente todos os aspectos por ti levantados. Mas se algum dia eu vier eu tiver uma gravidez não planejada, não terei coragem de abortar.

    Adorei tua escolha por este tema sempre pertinente. Parabéns!

    http://damasdevermelho.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. super concordo com a vivica! é uma agressão física e psicológica muito grande!

    ResponderExcluir
  12. Apenas para complementar o meu comentário anterior (espero que tenha "ido" e não dado erro novamente, pois a internet daqui está com alguns problemas) considerar que essas crianças serão, todas elas, dependentes de bolsas assistencialistas ou que trilharão pelo caminho da marginalidade soa um tanto determinista. Há exemplos de crianças nascidas em ambientes de pobreza extrema, sem condições adequadas e com vários irmãos e acabaram se tornando cidadãos de bem, com emprego e com uma vidinha tranqüila.
    http://grooeland.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. mas que tema, hein ?!

    mas vamos ao que interessa...

    Eu sou favor do aborto porque, por exemplo, se um cara engravida uma menina e eles não tem condições de criar um filho...qual vai ser o futuro dessa criança ?

    E em casos de estupro, nos quais a mulher, que quando olhar pra criança , vai pensar no estuprador...meu deus...Estou do lado do aborto, casamento gay e celibato facultativo!

    VIVA A LIBERDADE !

    ResponderExcluir
  14. Cada um sabe muito bem o que fazer da sua vida.
    Se soube escolher um caminho sabe escolher o outro.
    Sou a favor pq se uma menina chega a engravidar de uma pessoa que só teve um sexo casual e não foi planejado pode opnar por essa opção.
    Viva a liberdade de ir e vir.

    ResponderExcluir
  15. Para nobreza:

    Com certeza, concordo em parte com seu raciocínio e vi vários exemplos de pessoas que nasceram em condição de extrema miséria e que venceram na vida, porém são poucos casos.

    Não estou de forma alguma, querendo julgar as pessoas que não tem condições, porém eu vejo muitas mães que não só não tem condições financeiras, mas também não possuem condições psicológicas para por uma criança no mundo.

    Seria bom que as exceções, com relação a este caso, fossem a regra mas infelizmente, não é assim na vida real.

    De qualquer modo, a mulher deve optar por abotar ou parir. Se abortar, ela deve tmar as precauções para não deixar que uma nova gestação indesejada não ocorra. Se decidir parir a decisão de ficar com a criança e de como criá-la também é dela, assim como pode-se tentar entregá-la à adoção. Quero lembrar que cada caso é um caso.

    Muito obrigada pela sua participação, mesmo sendo uma idéia diferente, o seu comentário foi bom e acrescentou muito a esta postagem.

    ResponderExcluir
  16. Bom, vamos lá, novamente...e desculpe por bagunçar os comentários daqui, mas houve um erro na hora de postar meu comentário.

    É uma questão complicada e bastante espinhosa. Tentarei dar uma opinião mais ou menos tomando uma posição, embora minha tendência neste caso seja mesmo "ficar em cima do muro".

    Como você bem citou em seu texto ( muito bem escrito, por sinal. Parabéns), também tenho medo dessa banalização do aborto. Não é difícil imaginar coisas do tipo "Promoção: aborto - R$ 25 Preço popular" por aí, vide "igrejas" que vendem até lotes no céu a "preços populares". Infelizmente somos um país cuja população é desinformada ou tem acesso somente a "meia informação". Quando ocorre de ter acesso à informação, também não há interesse.

    Métodos contraceptivos, por exemplo. É fácil encontrá-los de graça, em qualquer posto de saúde. No entanto são poucas as pessoas que buscam. Por que será? Vergonha? preguiça? desinteresse? Fala-se tanto em sexo na TV, mas aborda-se em grande maioria das vezes apenas o prazer e não com uma temática informativa.

    Então, por aí dá para notar que minha tendência é ser contra o aborto.

    Mas quando vejo mulheres violentadas e grávidas desta violência, quando vejo fetos que desenvolvem uma má-formação cerebral, em que irão morrer poucas horas após o nascimento, não dá para ser contra o direito de escolha da mulher e da família. Em ambas as situações o sofrimento é enorme e creio que vetar o poder de escolha das pessoas em casos assim é precipitado e fere o princípio ético. É um vida, mas uma vida gerada através de uma violência ou uma vida gerada apenas para morrer logo em seguida e colocando em risco a saúde da mãe.

    Eu acho que o equilíbrio deve pautar este assunto...conceder a escolha em alguns casos e esperar em outros. Mas para "esperar" é preciso também que aconteçam revoluções no pensamento das pessoas, na educação e no modo como a mídia trata a sexualidade ( convergindo para o planejamento familiar). Embora ache que tudo isso não vá acontecer nem a longo, longuíssimo prazo neste país, temos que tratar do assunto com os cuidados necessários.

    abs e parabéns pelo texto e por suscitar a discussão.

    http://grooeland.blogspot.com

    ResponderExcluir
  17. Para Gúh! e Natália:

    Obrigada pela opinião e outros temas tão espinhosos quanto o aborto, que foram relembrados.

    O espaço estará sempre aberto!

    ResponderExcluir
  18. O mundo é feito de idéias divergentes...hehehehe!

    ResponderExcluir
  19. Para nobreza novamente (uahauahua... quase um chat uahauh...)

    Legal, gostei muito do complemento de seus comentários. Não se preocupe em bagunçar ou não os comentários, independente da ordem, o que você postou é uma análise inteligente e defente o outro lado que também deve ser ouvido.

    Obrigada pela sua opinião divergente e pela visita e tempo gasto lendo e comentando no blog. Sua visita é sempre bem vinda!

    ResponderExcluir
  20. Um tema de difícil discussão...
    sou totalmente contra

    ResponderExcluir
  21. Sou contra, não por convicções religiosas porque não as tenho. Sou contra por pura intuição de que a vida é necessária.

    ResponderExcluir
  22. GANHOU UM SELO !


    TE AMO, AMO SEU BLOG !


    PASSA LÁ NO MEU BLOG :D

    ResponderExcluir
  23. Contra o aborto claro.

    AMEI O TE BLOOOGG! passa no meeu, seria mtu importante pra mim a tua opinião!!!

    =**

    ResponderExcluir
  24. Sou absolutamente contra o aborto. Se eu fosse colocar todas as razões que me levam a ter esse ponto de vista, certamente meu comentário seria maior que o seu post (que já não é pequeno).

    Sou muito influenciado por minhas crenças sim, mas também o sou pela lógica. Definitivamente, acho absurdamente antiético. Não creio que matar crianças antes que elas nasçam resolveria nem a décima parte dos problemas sociais que nos afligem. É uma medida preguiçosa, irresponsável e ineficaz.

    Como vc mesma disse, nenhuma criança pediu pra nascer. E pra morrer?

    ResponderExcluir
  25. Sou contra. Totalmente contra. Sou a favor de outros métodos como a laquiadura e vasectomia. Estou há 4 anos fazendo tratamento para ter um filho, enquantos muitos simplesmente abortam, jogam no lixo ou criam as crianças na rua. Pretendo adotar um filho, mas concordo que a adoção no Brasil não funciona nada bem, demora demais. Um amigo meu demorou três anos para receber o seu filho.
    O governo deveria fazer uma pesquisa, principalmente nas classes com rendas mínimas e obrigar essas pessoas que todo ano tem um filho jogado as ruas a fazerem a cirurgia.
    Essa é a minha opinião.

    ResponderExcluir
  26. Para Marcel: Obrigada pelo comentário e por compartilhar sua opinião!

    De qualquer modo, o post aponta o aborto como uma das possibilidades que a mulhre tem diante desta situação e friso que é a última alternativa para a qual a se deve recorrer, mas se ela existe, que seja feita dentro da lei. Se a gestante optar por ter a criança, cabe a ela decidir e dar ao filho o melhor destino.

    De qualquer modo as pessoas vivem situações diferentes e lidam com elas de maneira única. Quem optar por levar uma gravidez inesperada a diante, deve fazê-lo de maneira consciente e por convicções próprias, da mesma forma a mulher que decide abortar.
    A criança inesperada não é a principal causa dos problemas sociais, mas estes problemas citados na postagem, explanam como as crianças que vem de relacionamentos destruídos e avessos são atingidas por estes problemas como: fome, miséria, falta de conhecimente, privação de acesso à educação e a outras necessidades básicas.

    Deixo claro que não culpo as crianças pelas mazelas do mundo cão, mas sim, explanei a realidade nua e crua e que afeta também a mães e suas crias.

    De qualquer modo, agradeço a sua participação. Mesmo sendo uma idéia contrária, este espaço está aberto para pessoas contra, a favor e também para aqueles que estão em cima do muro.
    Toda essa discussão é saudável e muito importante para construit a consciência de cada cidadão. E sua voz pode e deve ser ouvida em relação a este assunto.

    Sua opinião será sempre bem vinda a este blog!

    ;)

    ResponderExcluir
  27. é um tema meio complicado
    mas eu sou contra o aborto
    mas é claro que existe casos especiais
    o q tem q aver é um bom senso das pessoas em se previnir para nao ter uma gravidez indesejada

    ResponderExcluir
  28. Muito obrigado pela sua atenção.

    De qualquer forma, admiro muito a sua coragem em expôr uma opinião tão polêmica. De fato, estamos em pólos opostos no que diz respeito ao aborto. No entanto, eu acredito que não há nada melhor que o diálogo civilizado para a formação de qualquer pensamento crítico.

    Fanatismo, ignorância, alienação, preguiça, preconceito... uma coisa puxa a outra. Algumas dessas palavras podem, inclusive, ser entendidas como sinônimos. Todas, porém, devem ser execradas. Isto para que todo diálogo, por mais divergente que seja, não se perca em argumentos vazios. A humanidade agradece!

    (assinei seus feeds) Até a próxima!

    ResponderExcluir
  29. questao absolutamente pessoal. mas acho q se nao causado por trauma fisico ou psicologico ou anencefalo nao acho q deveria ser coibido.
    otimo post.

    --
    http://raciocinioquebrado.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  30. o aborto é realmente algo meio "tabu", mas eu sou a favor, mas nas condições que existem:
    risco à vida da mãe, anencefalia e má formação do feto.
    A "patricinha" que vai pra cama porque sentiu tesão pelo gostosinho e fica grávida? Deve ter o bebê sim. Sabia que isso podia acontecer e por que não usou os métodos contraceptivos?

    ResponderExcluir
  31. Questão q será discutida pra sempre :(

    Adorei o blog passa lah:
    http://blog-do-vandeco.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  32. Caramba, papo pesado hem...
    Sou contra o aborto sim, acho que temos que pensar em maneiras mais inteligentes de prevenir antes de exitir vida. Mas tem que se discutir muuuuito, acho que de maneira saudável toda discussão é válida!

    ResponderExcluir
  33. Tem meio polêmico, que pra falar verdade não tenho uma opinão exatamente formada.

    ResponderExcluir
  34. Sou contra o aborto, porque acredito que devemos erradicar de vez o 'fazer antes de pensar'. Acredito que a consciência é a chave pra essa incógnita.
    Acho errado meninas de 10 anos tendo filhos, acho errado crianças no final pedindo esmolas, mas acho mais errado ainda tirar a vida de alguém que é inocente ao nosso ato. Independentemente de sermos ou não religiosos.
    Mas cada um com suas opiniões. O povo é que faz suas leis.

    Beijocas
    www.lizziepohlmann.com

    ResponderExcluir
  35. Adorei teu blog! Parabéns!!! Como não sou muito "boa escritora", os posts dos meus blogs são, na maioira, textos de terceiros, por isso, admiro muito os blogs como o teu.

    Em relação ao assunto do ABORTO, concordo quando diz que cada mulher deve resolver o que fazer com seu corpo. Mas, para isso, é preciso que elas tenham as informações necessárias para decir da melhor forma possível.

    O aborto é uma violência? É. Tanto para a mãe, quanto para o bebê. Mas... as crianças passando necessidade, fome, frio, falta de amor, falta de carinho é MUITO MAIS VIOLENTO! Tanto para a mãe, para a criança e para TODOS NÓS!!! É a sociedade que sofre as conseqüências de um filho não desejado, de uma criança abandonada, de um cidadão que passa por tantas humilhações, descaso e violência.

    Primeiro, antes da legalização do aborto, o que pode torná-lo banal, deve ocorrer uma grande conscientização sobre assuntos como SEXO, DST'S, PREVENÇÃO DE GRAVIDEZ, FILHOS! Acho que é isso que falta: PREVENIR PARA NÃO PRECISAR REMEDIAR!

    ResponderExcluir
  36. Não sou 100% a favor nem 100% contra. Acho que isso é uma decisão séria a se tomar, e nem tão pessoal como você disse, a partir do momento que se deu à gravidez a mulher já lida com uma outra vida, o que não condiz com pessoalidade, pois mesmo que mãe, ela não tem poder total sobre a vida deste, assim, para tirá-la. Mas, também acho que há certos casos em que o aborto pode ser revisto, como estupro. Todo o fato é muito relativo, não abortar e somente colocar mais um pobre no mundo para sofrer, ou abortar e sabe-se lá estar matando. Acho uma coisa extremamente relativa e triste de se discutir.
    No meu caso, pretendo adotar, então não sei como será isso, caso tenha um filho acidentalmente, vou criá-lo normalmente; é egoísmo demais pensar 'não quero, e que assim seja'.

    ResponderExcluir
  37. Realmente este tema é muito complexo e bem polêmico.Sou contra o aborto (exceto por motivo de estupro ou risco para mãe), porém a favor de medidas contraceptivas. Pois, infelizmente a criança não tem culpa da irresponsabilidade dos pais. Caso isso ocorra e a pessoa não queira criar, poderá este encaminhar a criança para a adoção. Acho que esta medida poderá ser menos traumática para ambos os lados.

    ResponderExcluir
  38. Comentei já lá em cima. falar tudo é mesma coisa seria bobice, aushuash. Mas o blog é bem interessante. Digamos... tem conteúdo.

    se quiser, visite:
    www.fragmentosdelivro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  39. Um assunto polêmico mesmo. Eu sou contra o aborto.

    ResponderExcluir
  40. Antigamente eu era a favor somente em casos de estupro e má formação do feto. Porém o tempo passsoue eu mudei de idéia, hoje em dia eu sou a favor do aborto em qualquer caso.
    É melhor não ter um filho do que ficar sem condições de criar, ou mesmo, fazer como muitas mães com depressão pós parto que jogam no lixo ou matam os nenéns após o nascimento, acho que isso sim é pior.

    Perto dessas coisas, eu prefiro o aborto!

    ResponderExcluir
  41. Bom mesmo seria se todas pudessem entregar os filhos que não podem criar para a adoção, tem muitos casais esperando a oportunidde de adotar, mas a garota sabe como é sua vida e se pode levar sua decisão a diante.

    Eu também sou a favor, como você escreveu, não da banalização, mas da legalização. De que adianta proibir se às escondidas isso acontece mesmo?

    ResponderExcluir
  42. Bom...

    É um assunto o qual tenho a minha opinião e respeito as demais...

    Acho que cada um sabe o que faz e pronto...

    Nada de críticas...

    Beijos !!!

    ResponderExcluir
  43. Bom eu fico em cima do muro.
    as vzs sou contra as vzs a favor. sempre fico indeciso.
    Acho q em casos de violência sexual , o aborto deve sim ocorrer...
    é uma tema mto complicado.
    abçs.

    ResponderExcluir
  44. Sou contra o aborto exceto quando ocorre estupro ou a criança corre o risco viver no estado vegetativo; porém, sou totalmente a favor de todo e qualquer metodo contraceptivo. O aborto sempre foi um assunto polemico, sempre vão ter pessoas contras e a favor. As "mães" que fazem o aborto podem sofrer distúrbios tanto psicologicos quanto biologicos, e além do que você está tirando uma vida de uma criança, um inocente que não tem nenhuma chance de defesa. Afinal de contas, matar por opção sabendo que já bate um coração? Não, acho que não!

    ResponderExcluir
  45. Já pensei muito sobre o assunto e cada vez mais percebo que estou longe de ter uma opinião concreta a respeito.
    Por um lado não sou a favor, pois não concordo que um ser humano tenha direito de decidir sobre a vida de outro, mesmo que em parte essa vida vá depender de quem tem o poder de decisão.
    Por outro lado, tendo em vista a realidade cruel em que vivemos, também acho injusto obrigar alguém a dar a luz sem que essa tenha a menor condição de criar a criança.
    Enfim, é complicado... acho que há casos e casos e o importante é que tudo seja muito bem pensado, analisado e nunca, jamais, banalizado.
    Belo texto.
    bjus
    visite o meu tbm:
    http://www.achomuitacoisa.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  46. Opa eu aki de novo ^^

    uahsuahsa

    PAssa la:
    http://blog-do-vandeco.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  47. Sou plenamente favorável ao aborto, mas desde que exista um compromisso amplo, que envolva a escola, as associações de bairro, a comunidade, a mídia e, claro, o governo no que diz respeito à conscientização e o uso responsável deste recurso. Seria necessário este mutirão para que o aborto também não se torne um problema de saúde pública assim como é a gravidez indesejada. Nosso sistema de saúde pública não tem condições de atender mais esta demanda.

    Vejo também com bons olhos legalização do aborto pois eliminaríamos um submundo de médicos doutores que se utilizam da profissão para fins excusos. Há também aquelas curandeiras de bairro, que oferecem chás suspeitos e abortivos.

    Pra terminar, queria deixar este link http://inforum.insite.com.br/62023/. Destaque para expressões do tipo "pelo amor de Deus, me arruma este chá!"


    www.opatifundio.com

    ResponderExcluir
  48. Olá! Tudo bom??

    Hhhmm primeiramente parabéns pelo texto, pela ousadia do tema e pela bela escrita!

    Bom... eu sou a favor do aborto em casos extremos, como estupros, por exemplo, pois o nascimento da criança seria algo bem complicado para ela e para a mãe. Imagine saber quem foi seu pai ¬¬ ou imagine a mãe mesmo que ame a criança, toda vez que olhar para ela, a situação horrível que passou virá em sua cabeça. É uma questão beeeem complicada.

    Visite: http://carolices.zip.net

    Küsse ;***

    ResponderExcluir
  49. E tu, como sempre, escrevendo mais do que de forma inspirada, inspiradora! Sou contra o aborto humano, mas essa é uma questão pessoal e espiritual, e respeito totalmente os argumentos pró-aborto. agradeço pela gentil visita! :-)

    ResponderExcluir
  50. Adorei o seu blog! Vc escreve muito bem, dá pra perceber através desse teu texto sobre o aborto...
    Vida longa ao seu blog! Bjoks!

    ResponderExcluir
  51. Minha posição é meio conservadora sabe !!!
    Acho que na hora do bem bom é tudo flores ... depois vai pelo caminho mais fácil???
    Tem que assumir as burradas e responsabilidades.

    ResponderExcluir
  52. acho que se a pessoa nao tem condição de sustentar uma criança, deve-se abortar

    ResponderExcluir
  53. naum tenho muita opiniao formada mas veja bem eh melhor aborta do q pai uma crianca mq vc naum tem condicoes de criar e ficar por ai jogada

    ResponderExcluir
  54. o que falta para essas pessoas que largam nos caminhos da vida uma criança sem a mínina condição "humana" é informação! sim, essa pessoas são BURRAS, desinformadas. se não tem como sustentar não faz! se houve um descuido, aborta! já tem gente demais nesse mundo, sou completamente a favor da teoria malthusiana, controle de natalidade seria o ideal para o mundo, reduzir a população mundial pela metade resolveria os grandes problemas socias! obrigado.

    ResponderExcluir
  55. Eu penso o seguinte: Antes um feto morto do que uma criança abandonada,jogada no rio,ou maltratada pelos pais que não a quiseram....!!

    Bjs Nat!!

    ResponderExcluir
  56. Sou favorável ao aborto, mas o que não pode acontecer é banalizá-lo, torná-lo algo corriqueiro e desprovido de resistência moral.
    Infelizmente é muito capaz que isso aconteça a partir do momento em que o aborto venha a ser algo legalizado, mas não é isso que me faria vir aqui e dizer que mudei a minha opinião.
    Mesmo ciente da desordem que isso pode causar, o aborto deveria ser uma opção viável, com cada um tendo o direito de decidir ou não por ele.

    Parabéns pela coragem, garota ^^
    E eu sempre aqui admirando mais o teu blog...
    =]

    Thiago Assis,
    www.thiagogaru.blogspot.com

    ResponderExcluir
  57. Cada um deve tomar a sua própria decisão, aí reside a auto-determinação.
    Beijocas,

    ResponderExcluir
  58. Realmente o aborto é um tema extremamente polêmico. Parabéns pela abordagem e qualidade do texto!

    ResponderExcluir
  59. Como tudo no mundo se pesa, esse tema não é diferente e nunca foi medido com a certeza e satisfação de todos.
    Eu sou a favor a partir do momento em que alguém vai nascer para morrer em seguida, tipo anomalias irreversíveis (sem o cérebro) ou caso haja risco de vida da mãe e do bebe.
    Com relação ao estupro acho que é preciso ter um raciocinio. Claro que ninguém quer ter um filho de um abuso sexual, de um desconhecido criminoso. Mas acho que fica a critério da mãe.
    Eu sou espiritualista, então acredito que um filho não nasceria no lugar errado... a forma com que ele é criado, com que ele é recebido é que nos faz acreditar de que foi errado. Eu sempre acreditei que filho é um benção. Agora isso vai de acordo com a forma como essa mulher se coloca diante de tal agressão, a criança não tem culpa, assim como a mãe também não teve.

    ResponderExcluir
  60. Veja bem NAT, sou a favor do aborto, mas acredito que os brasileiros não estão prontos para isso. Como vc mesmo diz, falta muita educação para a maioria e o aborto não será bem ministrado na nossa terra. Nós brasileiros ainda somos ignorantes em número de informação e não sabemos ingerir uma como essa, imagina, esse tanto de mulheres ignorantes, que colocam tantos filhos no mundo, com esse direito ao aborto, seria uma carnificina... aqui onde a lei não funciona e os direitos são motivos de piadas, creio que os únicos a terem esse direito (caso esse seja aceito pelo o congresso) será a classe média pra alta... a classe que mais necessita não será incluida, até porque, hj para conseguir uma laquiadura pela rede pública é quase impossível...
    A lei do aborto é uma questão que além de ter que ser bem avaliada, quem pode e quem não pode, até porque, tbm acredito que em uma certa fase da gestação essa interrupção não deve ser feita, é uma lei que ao me ver esta muito longe de ser agregada a nós brasileiras.
    Em caso de estrupo, isso tem que ser acompanhado por psicologos para que esses possam avaliar o estado da mulher, e psicologo na rede pública... brincadeira né... acho que mesmo que a mulher consiga o direito ao aborto, ela terá uma luta muito maior a frente, a qual eu acho que primeiro temos que vencer antes de conseguir esse direito, que é o direito a educação, a informação, a saúde etc...
    Bom... vou parar por aqui...

    Beijos e realmente vc tem o dom, escreve muito bem o que pensa e isso é um verdadeiro dom, excelente começo.

    Diolívia Alves

    ResponderExcluir
  61. Realmente, assunto delicadíssimo, mas temos opiniões parecidas. Uma vez era completamente contra o aborto, mas já pensei nesses fatos de crianças passando fome, se drogando e prostituindo, gente sofrendo... na verdade, deviam mesmo era fazer laqueadura em massa! Talvez isso ajude um pouco!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  62. G.P.
    olha eu aqui de noovo... =)
    e vc continua ótima como sempre!

    ResponderExcluir
  63. Eu sou daquelas pessoas que fico em cima do muro .. comcordo com varias coisas que escreve .. mas aborto .. putz é delicado d+ ... eu sou a favor se for por estrupo ou caso de morte da criança ou da mãe .. mas em outros casos não sei ao certo .. pois já ouvi histórias que mães que fazem isso e depois não conseguem mais engravidar e até ficam traumatizads .. sei lá .. como falei estou em cima do muro ..

    Abç.

    ResponderExcluir
  64. Nossa!
    Como tá legal isso aqui hein!
    Li boa parte das opiniões e vi que o nivel da discussão está muito bom!
    Parabens!
    bjO*

    ResponderExcluir
  65. O título já diz tudo.
    É uma questão pessoal, cada um faz o que bem quiser.

    ResponderExcluir
  66. Oi...
    .
    Recebi mais um selo e escolhi seu blog p/ recebê-lo.
    .
    Passa lá e pega, ok?
    .
    .
    Bjss e fique com Deus, na Paz.
    .
    http://horateologica.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  67. Aborto.... muitos seculos a espreita para discussao.

    Hoje, quando adicionado a um ponto de vista politico e social, a logica certamente vence. A simplicidade em resolver. O religioso, mediante a crencas que nao foram bem compreendidas, acaba por intervir de maneira indevidade, argumentando superficialmente e nao obsevando a razao do todo.
    Otimo texto!!

    Abrcs

    ResponderExcluir
  68. Sinceramente, eu concordo com vc, tbm sou a favor do aborto. Pode ser meio espantoso acabar com uma vida que nem começou direito dessa forma.

    Mas penso assim também: se é para acabar com a vida de uma criança aos poucos, arrancando a infância dela por necessidades econômicas, maltratando-a, não dando a ela educação ou amor... melhor que ela nem venha ao mundo!

    Acho que pais e mães devem ser conscientes disso... se não foram antes de fazer sexo sem proteção, que possam medir o futuro da criança que está por vir!

    bjos!

    ResponderExcluir
  69. Tema extremamente complicado, mas sou contra o abordo. Fez o filho. Deixa ele nascer e cria. Para mim, quem faz abordo é assassino. É a mesma coisa. Vc esta tirando a vida de alguém. Vc não está dando nem chance para esse pessoa viver.
    Diversão e entretenimento:
    http://www.conquistadoresde.info/

    ResponderExcluir
  70. Não queria me posicionar a favor do aborto porque não quero dar o gostinho a esses sacanas de acharem que podem transar e depois abortar sempre que as coisas derem errado. Se o homem fez, ele tem que arcar com as consequências. Mas a pobre criança não tem culpa, e só estariamos botando mais um mizerável no mundo. Ainda que utópico acho que a solução está na participação do governo com o trabalho de conscientisação. Acho que se o aborto for legalizado vai virar festa. Eu ainda estou confuso.

    ResponderExcluir
  71. Querida amiga avassaladora...Garota Pendurada...
    Nome interessante. Há alguma relação como filme " Garota interrompida"?
    Bem.. quanto a sua cronica. Muito pessoal, visceral mesmo...
    Minha opinião sobre o aborto... Sou contra, porem sou a favor ao direito de decisão e escolha ... ou seja... Deve-se dar condições as mulheres que desejem usufruir do direito as suas escolhas...
    "Não concordo com voce, mas defenderei ate a morte o seu direito de dize-lo"
    Venha nos visitar:
    http://avassaladorasrio.blogspot.com

    ResponderExcluir
  72. 72 comentários, não é pra pouco né? o texto tá ótimo e bem desenvolvido... merecidos comentários.
    (sabe que adoro teu blog? :P)
    Mas indo direto ao assunto, eu fiz uma matéria agora sobre aborto e células tronco, mais basicamente "quando a vida começa?" e no Brasil é considerado morte qndo se apaga as ondas cerebrais, então vida seria diretamente o contrário, quando inicia as ondas cerebrais. Então não é considerado morte abortar um feto com menos de sei lá quantas semanas(não lembro :P)

    Eu sou a favor do aborto, mas o aborto em clínicas especializadas e tudo mais... não em lugares capengas que tiram a criança com um aspirador :/

    acho que é isso.
    http://jornalosturiel.blogspot.com

    ResponderExcluir
  73. Tema extremamente complicado, mas sou contra o abordo. Fez o filho. Deixa ele nascer e cria. Para mim, quem faz abordo é assassino

    na verdade, deviam mesmo era fazer laqueadura em massa


    li os comentários e esses que me chamaram atenção... apoio em fazer laqueadura, vasectomia e bla bla bla para os indigentes, criminosos e o caralho a quatro, para aqueles que não tem capacidade financeira de sustentar um filho. Opinião sobre o segundo ponto.

    O tema é realmente complicado, mas pensa qntas vidas podem ser salvas apenas com as células do feto indesejado? As células embrionárias é o maior passo da ciência NESTE século. Considerado a maior descoberta cientifica dos últimos cem anos pela revista science...
    ser contra um filho indesejado não é assassinato e ainda pode ajudar várias pessoas cardiacas, tetraplégicas e bla bla bla

    ResponderExcluir
  74. Opa...voltando para ler os comentários dos colegas.

    ResponderExcluir
  75. Sou a favor do aborto sim. Principalmente a favor de ter um controle sobre a taxa de nascimento da população
    Mas como outros já disseram... é um assunto complicado quando o debato aborda política e religião ao mesmo tempo

    ResponderExcluir
  76. E complicado fala disso pq isso tem uma serie de pros contras...

    ResponderExcluir
  77. Assunto sempre polêmico, e tendemos a ficar em cima do muro. Não você, que começou logo pelo fim, afirmando sua posição. Mas, embora pareça falta de opinião, ainda acho que cada caso é um caso. Não dá pra ser definitivo...

    Abraços
    http://www.blogdaberenice.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  78. Adoreiiiiiiiiiiii... Sou super a favor do aborto, porque ele existe de qualquer jeito, então porque deixarmos mulheres tomando chás, enfiando agulhas no útero ou procurando clínicas "carniceiras" por aí, se podemos ter amparo legal?
    Adoção no Brasil ainda é piada, se você avaliar o número de crianças adotas vai ver o quanto é baixo, as exigências dos pais adotivos "que querem alguém para mostrar, ops, amar", teria ainda mais certeza que isso tudo é "balela" em muitos casos.
    É fácil dizer que aborto é pecado quando quem vai ter todas as responsabilidades para criar, sustentar e educar não é nossa, e sim daquela que não se preveniu o suficiente, ou nem se preveniu porque estava bebada ou dispersa demais com a questão da gravidez ou ainda porque mora embaixo da ponte e não sabia como fazê-lo.
    Filhos são obrigatórios para quem se interessa ganhar voto mesmo ou para quem precisa de aviãozinho no morro, caso contrário, podem muito bem serem dispensados e recebidos quando realmente os pais quiserem e não uma sociedade hipocrita decidir.

    Beijos :)

    ResponderExcluir
  79. Texto muito bem redigido. Gostei da abordagem desse tema dão delicado. Acho que existem casos e casos, e cada pessoa toma a decisão que achar mais certa no momento.

    Parabens pelo texto, gostei muito.


    http://ccdodia.blogspot.com/
    Entra lá e comenta.

    ResponderExcluir
  80. por mais que 99% das pessoas sejam contra eu sou a favor do aborto.
    e sabe porque?
    pare e olhe e pense quantas crianças vc vê
    numa familia toda desestruturada, a criança nasceu por falha do casal, veio sem ser querida
    e mtas vezs acaba sofrendo violencia fisica e psicológica pelos familiares, pra dores do corpo nós tmos os remedios que aliviam, mas pras dores da alma as vezs nem o tempo cura.

    http://exoticlic.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  81. Bom, não existe mais essa de casais "desinformados , desajuizados e pessoas promíscuas" para se ter uma gravidez indesejada, já que isso acontece com muita frequência em todas as classes sociais, inclusive o grande índice de aborto que existe no Brasil(ilegal, é claro) ocorre por causa das pessoas que tem dinheiro para pagar o procedimento antiético e desumano em clínicas clandestinas e caras.

    Além disso, as "instituições capengas que são contra o aborto" são grandes responsáveis por ações sociais de apoio a instituições de apoio a crianças e adolescentes. Um exemplo é o grande número de orfanatos geridos por freiras.

    E não nos esqueçamos que a falta de denúncia nas vioilência sexual não sofre influência negativa da proibição do aborto, já que o mesmo é aceitável judicialmente para esses casos.

    A prática da adoção no Brasil foi melhor sistematizada com a recente entrada em vigor da nova lei de adoção, que torna mais prática e menos burocrática esta célebre ação cidadã. Se isso não é suficiente, o que devemos é tentar melhorar cada vez mais as ações que privilegiem a adoção e não incentivar o aborto porque é difícil o método de adoção.

    A falta de ações governamentais também não pode ser um argumento para incentivar a prática do aborto. Um erro não justifica o outro: temos que aprender a votar e não fazer "gambiarras" para tentar arrumar as "burradas" que os nossos políticos andam fazendo por aí com o dinheiro público.

    E mais: melhor do que o aborto para conter uma "gravidez indesejada" é a implantação de políticas públicas que disseminem e facilitem a utilização de métodos contraceptivos, que não são tão arriscados para a mãe, custam muito menos e diminuiria consideravelmente as discussões e problemas relacionados com o aborto.

    Não estou tão certo de que a gestante possa decidir a seu bel-prazer sobre a continuação de uma gravidez. Primeiro por que não é só o corpo dela que está em questão, mas sim, uma vida. Depois, porque esta vida não foi gerada sozinha, toda criança tem um pai, que é igualmente responsável.

    Direito de expressão é uma coisa. Direito a vida é outro. Direito de expressão é uma forma de evitar que medidas autoritárias sejam adotadas para conter opiniões que possam desagradar a determinados grupos.

    Direito a vida vai muito além do "Não matar", envolvendo também a integridade física. É um direito indisponivel, inalienável, imprescritível... Se uma pessoa nao tem direito de vender seus próprios órgãos (que SÃO SEUS), por que ter o direito de ceifar uma vida (que não é SUA).
    Obrigado por sua opinão e obrigado pelo espaço.

    ResponderExcluir
  82. Desde o momento da fecundação uma vida já está sendo gerada, abortar é matar, e desumano tirar a vida de alguém que nem ao menos pode se defender! Porém sou a favor da legalização do aborto, milhares de mulheres morrem em consequencia de abortos mal feitos, sou espírita e acredito no livre arbítrio, e principalmente acredito na justiça divina.

    ResponderExcluir

EVITE ENTRAR PARA MINHA LISTA DE DESAFETOS:

Por favor, não gaste o meu tempo precioso, fazendo com que eu leia comentários do tipo "- Legal, passe lá no meu blog!", "Muito bom, adorei!", "Lindo seu blog, visita 'tá?'", "auhuhauhau" ou coisa parecida.

Não busco impressões de alguém que escreve como quem tem uma ejaculação precoce!

Kiso