terça-feira, 4 de novembro de 2008

Descendente de mulher de vida fácil!

Xingar pode ser uma ótima terapia.

Por Nat Valarini

- Eita porra! É um caralho de asa mesmo!

- Que coisa mais feia menina! ‘ Vê’ se xingar é coisa de moça decente? Caralho, caralho... O que é caralho? E essa tal de porra que você tanto fala. Ultimamente você anda com a boca cheia de caralho e porra. Pare de xingar ou lavo sua boca com sabão, sua filha da puta!

- Ãh... mãe!

-O que é?

- Você acabou de me chamar de filha da puta!

- VAI PARA O SEU QUARTO AGORA!

- Uahauhauhahau...

Criei o diálogo acima para ilustrar como os palavrões já estão inseridos em nossa cultura, não exatamente querendo intitular ‘carinhosamente’ a mãe alheia, mas estes e outros termos são ditos automaticamente, meio que sem pensar, como quem diz bom dia. Como se tornaram comuns em qualquer círculo social, o palavreado de baixo calão, antes tido como coisa de gente pobre, aculturada e mal educada, já pode ser ouvido vindo da boca de pessoas nobres e distintas. Muitos se questionam em como não dizê-los sendo que o mundo está cheio de pessoas dignas de receberem os tais tratamentos. Já que “Lulinha magavilha” não baniu estas expressões com a reforma ortográfica (até porque, se o fizesse, as conversas no cenário político passariam a ser monossilábicas), continuemos a usá-las sem muita parcimônia, mas no momento oportuno. Afinal como disse o grande filósoso Aristóteles: " Qualquer um pode zangar-se - isso é facil. Mas zangar-se com a pessoa certa, na medida certa, na hora certa, pelo motivo certo e da maneira certa - não é facil."

A coisa deve ser bem mais ancestral do que imaginamos.

Antigamente diziam: “- Rebento de progenitora vadia!”, ou para os mais íntimos, simplesmente: “- Filho da puta!”. O fato é que até hoje essa expressão, assim como a meretriz que lhe deu fama, caiu na boca do povo, junto com outros palavrões em frases de efeito como: “Vá tomar lá” (lembrando que aquele que toma lá, dá cá, dá mesmo e às vezes muito mais do que se pensa, ele dá!), a célebre e repaginada “- Eita porra!” e a não menos importante e atual “– Ah, Caralho!”.

Seja para alcunhar, demonstrar inveja, agradecer, comemorar, zombar, ou chamar afetivamente (por que não?), a palavra obscena é tão popular quanto tatuagem na testa (pensando bem, tatuagem na testa ainda continua às margens da sociedade...), melhor dizendo, é super comum. Não lembro quando foi a primeira vez que meus lábios tornaram-se sujos, mas xingar virou um vício que eu até tentei abandonar, que depois tornou-se algo corriqueiro e relaxante, tendo em vista que diminui o nervosismo, uma vez que é possível, através dessa manifestação verbal, pôr para fora sentimentos escusos que não devem ser guardados, pois fariam mal à saúde física e emocional. Com os altos índices de stress causados pela vida moderna, alguns se matam, brigam sem motivo aparente com quem não devem, já outros xingam, colocam para fora a raiva, mesmo que sozinhos, e depois de estravasado aquele sentimento ruim passa.

De qualquer forma, apesar dos xingamentos terem sido disseminados pela população, ainda não são bem quistos pela norma culta e padrões de educação e moral, porém quem dita as regras também deva ser adepto do bom e velho turpilóquio. Vai dizer que acredita mesmo que Aurélio (aquele mesmo, vulgo pai dos burros) jamais xingou, acha mesmo que ele nunca soltou um “filhinho-de-uma-putazinha”? Eu não acredito nisso. Na verdade, acho que quem regula o vocabulário sujo e condena quem o usa em momentos mais que oportunos, não é uma pessoa muito confiável. Exagerada eu, não? Pode começar a espernear, dizer que discorda e que isso é um absurdo e muita falta de educação. Ok, realmente é, mas você ainda vai entender o que eu quero dizer, permita que eu desenhe:

Pense naquele ser mais ‘Caxias’, educado, pedante e falso que você conhece. Tudo para ele deve ser milimetricamente aferido, tudo para ele é tão fino e engomado que chega a dar nojo de tão politicamente correto e mentiroso que ele é, um perfeito reprimido que passou a vida pondo a mão na boca para não escancarar seus anseios e revoltas, com o objetivo único de sustentar sua imagem de bom moço. Se você se desentender com um tipo desse qualquer dia, o clima vai ficar chato. Talvez você se pergunte: “- Como pude ser grosseiro com alguém tão ‘amável e correto’? Repleto de sentimento de culpa, você até se sente constrangido pela situação (ok, talvez não seja assim normalmente, mas continue imaginando...). Como boa pessoa que você é, vai chegar até o cidadão para uma conversa franca onde, ele, ferido, vai expor suas dores (mas não todas, afinal ele é um tosco, só não se deu conta disso ainda), vocês vão se desculpar mutuamente e colocarão uma pedra no assunto, assim tudo está resolvido e as pazes feitas.

Porém uma coisa, querido leitor, eu te garanto: lá no íntimo o bastardo te apelidou pelos piores títulos, os únicos codinomes pelos quais ele não te chamou foi santo e talvez rapadura. Dalí há algum tempo, você vai ter a notícia de que o miserável morreu de câncer em algum lugar significativo, no coração porque não expeliu a raiva no momento e deixou-a se transformar em mágoa antes de conversar contigo, na cabeça porque ruminou todas aquelas idéias más a teu respeito, mas provavelmente ele tenha tido metástase na língua por não ter te xingado por aquilo que você merecia ouvir no momento da sacanagem... Oh! Pobre imbecil.

Se conhecer alguém assim, me avise. Faço questão de comprar-lhe uma bela e sucinta coroa fúnebre de flores, mesmo que este ainda viva, pois se ainda não tiver partido desta para melhor, com toda certeza irá em breve, onde constarão os seguintes dizeres: - Aqui jaz um frouxo descendente de mulher de vida fácil... Tomou no cu!

Para saber mais:

Momentos de ócio deram impulso para a criação desta e de outras crônicas que virão em breve.

Page copy protected against web site content infringement by Copyscape


Creative Commons License
Descendente de mulher de vida fácil! by Nat Valarini is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.
Based on a work at garotapendurada.blogspot.com.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://garotapendurada.blogspot.com/.

57 comentários:

  1. Falar palavrão é bom demais. Poucas coisas libertam tanto quanto dizer um sonoro FODA-SE.

    E pra mim quem não fala palavrão não merece confiança nenhuma.. é reprimido e recalcado.. bem como vc falou
    =D

    ResponderExcluir
  2. falar palavrão liberta a raiva, faz bem pra alma!
    Atualmente todos falam um bom e sonoro palavrão, faz parte do cotidiano de todos nós! Poucos não falam, muito poucos mesmo!
    ah, sou fã do teu blog, parabéns mesmo!

    ResponderExcluir
  3. As vezes é inevitável e alivia mesmo. Agora, existem momentos que deme ser evitados. Mas tenho certeza que ninguem resiste a um palavrão que lava a alma.


    http://escondidin.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Puta que pariu, texto foda esse! hehehhe!

    Tudo em excesso não é legal. Há pessoas que, de cada 10 palavras que fala, umas 6 ou 7 constituem-se em palavrões; eu conheço um sujeito que parecia ser incapaz de falar um palavrão, mas foi só entrar no carro, tomar uma fechada para o gentleman soltar um sonoro "VTNC SEU FDP!!!"

    Existirá "equilíbrio" até para se dizer palavrão? Em breve veremos colunistas ensinando a "etiqueta das palavras de baixo calão", pois hoje é "especialista" pra tudo quanto é coisa...

    http://grooeland.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Adorei o texto foi divertido .. eu ahcei .. rsrsrs

    não sou de falar palavrão, mas quanto estou nevoso sai coisas que enm eu mesmo acretido .. rsrs .. acho que pra nossa cultura serve como vlavula de escape .. kkkkkkkkkkkkkkkkk


    Bjs ..

    ResponderExcluir
  6. Ah, eu xingo pra caralho, hahahaha!

    Acvho que alivia na hora da tensão, hehe!

    Muito legal seu blog e o texto é levíssimo, vc tem uma forma gostosa de escrever, sabe?!


    ;)

    ResponderExcluir
  7. Amei o texto!
    Eu falo palavrão pra caralho!
    O palavrão não só faz parte da minha vida como da cultura brasileira no século 21, afinal quem não fala palavrão que atire a primeira pedra!
    Até pra elogiar a gente usa palavrão!
    "Aquele fdp joga muito" "Aquela mina é bonita pra caralho" "É bom mas cansa que só a porra" E por aí vai...
    Maravilhoso! Nada melhor que um texto como esse numa manhã pra animar e me inspirar pra mais um dia!
    bjO

    ResponderExcluir
  8. 'Mãe vc acabou de me chamar de filha da puta foi ótimo'! hehe

    Já o porra... Aqui no Rio, é usado como vírgula porra, entende, porra! :D

    Sobre o seu post de ontem...Explique melhor por scrap, please. Bjs

    E passe no meu blog hj, hein ;)

    ResponderExcluir
  9. Adoro passar por aqui
    seu blog é mesmo muito bom, e gosto da sua visão das coisas .

    Bjs

    ResponderExcluir
  10. Muito bem elaborado o post..
    Adorei!
    Eu, particularmente não sou de usar palavrões.. a não ser naquelas situações em que vc pensa: "pq diabos isto tá acontecendo comigo?" ou quando o estresse de não conseguir rersolver algo... Enfim, em momentos de profunda raiva e indignação!!
    hehehe

    ;P

    bjus

    ResponderExcluir
  11. Ui eu evito ao máximo possível falar palavrão, minha amiga ri de mim porque criei palavras alternativas como por exemplo: Ponta de Navio em vez de PQP xD.
    Mas acredito que principalmente para os jovens ( já estou falando como uma velha) palavrão se tornou vital, os pais que criticavam os filhos pelas gírias não sabia que a coisa ia piorar muito neh...
    Excelente post =*

    ResponderExcluir
  12. Legal tbm é a filosofia do Aristoteles...
    Sempre as pessoas ficam chateadas por pouca coisa e na hora que tem que ficar chateada de verdade não ficam! Vai entender!

    ResponderExcluir
  13. Hahaha engraçado e bem escrito. Palavrão é bom pra extravasar. O problema é deixar virar vício. Tem gente que fala muito palavrão, e sempre os mesmos. É o tal do caralho na boca. Não gosto hehehe.

    Bom o teu blog! Só que é difícil de entrar o coment pra quem é do wordpress.

    www.blog.costadessouza.com

    ResponderExcluir
  14. quem nao exterioriza vive a somatizacao =]
    deixei um selo pra vc no meu blog ;)

    --
    http://raciocinioquebrado.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  15. Muito bom texto. Me arrancou boas risadas e pensamentos. Acredite ou nao eu raramente falo algum palavrao. Acredito que agora devo repensar e encaixar um ou outro.

    Abcs

    ResponderExcluir
  16. Crônicas de franqueza são as melhores, principalmente aquelas que têm um toque chulo. O final foi o melhor, principalmente a parte do "Aqui jaz um frouxo descendente de mulher de vida fácil... Tomou no cu!". Ri demais. :P

    ResponderExcluir
  17. Tem gente que usa o palavrão como vírgula!!! Acho feio...
    Mas de vez em quando a situação pede...aí eu falo mesmo!!rsrs

    Bjo!!

    www.blogdavana.zip.net

    ResponderExcluir
  18. É sempre um prazer entrar aqui e ler bons textos.

    Numa sociedade como a nossa, ainda regida por preceitos cristãos, fica difícil crer que o palavrão passará imune aos moralistas e plantão.

    ResponderExcluir
  19. oaksopkoasposkapokapsok
    palavraum eh bomm^^
    aposkaskakaksakps
    ^^''

    http://www.blogpaporapido.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  20. ótimo texto!
    eu, particularmente, adoro falar palavrões. Eu acho que eles são bons pra sintetizar certas emoções e deixar a conversa descontraída.
    Mas é claro, que tem hora certa pra usar...

    http://ofatorx.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  21. definitivamente eu sou daqui!
    parabéns mesmo :D

    ResponderExcluir
  22. krai essa parada é escrota mesmo...
    abraços gatosa

    ResponderExcluir
  23. Concordo com e discordo de certas coisas que você escreveu. Não necessáriamente vai ser um frouxo. Há pessoas de diferentes personalidades, e não é porque um não desce do tamanco e atira pedra no outro que ele vá ser uma pessoa de má índole, ou seja lá o que você quis dizer.
    Mudando de assunto; achei que você escreve muito bem, apesar do texto ter-se partido no meio. Parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir
  24. Realmente tenho que concordar contigo. Xingar deixa a alma leve, colocar pra fora toda a raiva em palavrões é uma delícia. =P

    E deixa só eu dizer uma coisinha, lá no início do seu texto você escreveu "caralho de asa". Eu ri muito pq a minha mãe sempre xinga assim e eu achei que ela fosse a unica doida que coloca asa no bilau na hora de xingar. Normalmente quando ela fala eu respondo "Nossa mãe, assim com asa eu nunca vi. É bom?" Ela fica doida comigo!

    Muito bom teu blog!

    Beeeeeeeeeijos

    ResponderExcluir
  25. adoro crônicas... principalmente as que sabem usar um palavrão.

    http://blogaritmox.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  26. É, realmente, essas palavras de baixo calão nos já se tornaram tão comum... Banalizadas, assim como a violencia, etc.

    "o palavreado de baixo calão, antes tido como coisa de gente pobre, aculturada e mal educada"

    Aqui quando tu diz "Aculturada", seria pessoa 'sem cultura'?

    Ah, se eu conhecer te aviso sim! :D~~


    visaocontraria.blogspot.com
    minhainspiracao.blogspot.com

    bjss

    ResponderExcluir
  27. Bolei de rir com o diálogo inicial, pqp, muito bom
    uhauhahuauhauhauuhahuahahahuauhauha

    Palavrão é característico da nossa língua,
    assim como de tantos outros idiomas,
    não adianta fugir deles, sempre aparecerem ^^

    Sempre boas postagens,
    ainda bem que um dia achei o teu blog =]

    Thiago Assis,
    www.thiagogaru.blogspot.com

    ResponderExcluir
  28. Uau
    Lembrei de uma cara q conheço
    eu nunca vi ele falar 1 palavrão se quer..
    Ele vive lendo o dicionário procurando palavras difícies.... é tão ridiculo , ele tenta falar a forma culta 24 hrs....
    ahhahahaaahhahahahah
    Tipo ele fala: Pois é pelos motivo da circustância...
    é hilário..
    Gostei do post..engraçado o diálogo..
    bjus.

    ResponderExcluir
  29. Xingar é bom pra extravasar!!!

    rs

    ResponderExcluir
  30. Seu post tá do caralho!

    Já escrevi sobre palavrões no meu blog. Já estão inseridos na nossa vida até mesmo quando batemos com nosso dedinho numa quina: um simples "ai" não basta, mas um "filho da puta! Essa merda de dedo vai gangrenar e cair fora" pode ser mais comum.

    ResponderExcluir
  31. HAUShuAHSuHASUhAS

    mt bom!!

    ri pra caralho...

    www.trocistas.com

    ResponderExcluir
  32. Trata-se de um contrasenso a mãe ou o pai reclamarem que os filhos falam palavrões, quando eles mesmo dão o péssimo exemplo.

    Olha só, gostei muito do seu blog, você escreve com maestria e os posts são bem agradáveis.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  33. usahsuahsuahsuahsua
    q loko o começo
    uaheuhauehauhe

    bj

    http://tudo-ave.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  34. hauhauhua

    Achei o diálogo bem divertido. Já ouvi diálogos parecidos hehe

    ResponderExcluir
  35. Passando aqui de novo...
    Não me canso de ler-te!

    ;D

    bjus

    ResponderExcluir
  36. puta merda, caralho! é isso mesmo... palavrões hoje em dia são as interjeições modernas! quão mais claro se torna o diálogo, e mais sincero também, quando bem recheado de alguns palavrõezinhos cá e lá!
    eu mesmo faço uso terapêutico dessas palavras e nem por isso deixo de ser menos culto, menos respeitoso ou o caralho a quatro! kkk (ou seria o diabo? enfim... heheeh)
    o fato é que quem xinga seus males espanta! (só tem que tomar cuidado pra não sair espantando todo mundo!)
    ******
    ps - gosto mto de comentarios bem fundamentados no blog! obrigado! visitarei aqui mais vezes... achei o máximo o titulo! ja fiquei imaginando.. hehee

    ResponderExcluir
  37. Que atire a primeira pedra quem nunca abusou de um bom palavrão!

    ResponderExcluir
  38. eu particularmente não curto muito esse negócio de falar palavrões, tem muitas outras formas de expressar a "fúria" sem precisar chegar a tal ponto.

    ResponderExcluir
  39. Tem vez que falo palavrão mas não com a intenção de ofender alguém, igual que você falou ali. As vezes é essencial o uso de um palavrão, PORRA! Seu blog está maneiro pra CARALHO! PUTA QUE PARIU gostei dele, vou passar mais vezes. *Risos*

    ResponderExcluir
  40. já tinha comentado nesse post..
    seu blog é bom. dei uma olhada em outros posts e está aprovado.

    ResponderExcluir
  41. Tem coisa melhor que um palavrão?
    PORRA, QUE TEXTO DO CARALHO!
    =*

    ResponderExcluir
  42. Falar palavrão é uma terapia que devia ser usada por todos, e eu sinceramente acho que não existe uma pessoa que não fale em nenhum momento um palavrão. Eu até então achava que minha mãe era assim, até ela falar um belo "Vao toma no cu" para meu pai. (:
    Falar palavrão é uma coisa que relaxa a gente.
    Adorei o post!

    ResponderExcluir
  43. hehehe... Falar palavrão é uma demosntração de intimidade com o outro, é uma forma de liberdade, uma forma de mandar se fuder toda a hipocrisia que se circula por aí... Eu falo palavão desde criancinha... Minha mãe q se horrizava na epoca, agora ela fala junto comingo...hehe...

    Muito bacana teu post!

    E valeu de verdade o teu comentário lá no meu Blog no aniversario dele de um ano e pelo elogios... Eu que tenho q te elogiar pelo seu blog

    Um abraço forte!

    www.defecarparireumaideia.blogspot.com

    ResponderExcluir
  44. Não teve como ! Você recebeu prêmios de novo !!!!!!!!!!! Beijos !

    ResponderExcluir
  45. Nada como um bom palavrão. Naquela hora de raiva, quando tudo está f*, poder encher a boca e dizer: puta que pariu!

    Hoje estava tentando sacar dinheiro, mas o caixa eletrônico não estava cooperando muito. Soltei bem alto: que cu! O moço atrás de mim ficou rindo!

    Adorei seus devaneios daqui. Também sou do DF...\o/

    Beijos!

    ResponderExcluir
  46. Palavrão é, de qualquer forma, uma ótima terapia!
    rs

    visite o meu tbm:
    http://achomuitacoisa.blogspot.com/

    bjs

    ResponderExcluir
  47. Este tipo de expressão é comum quando estamos nervosos com alguém ou com algum acontecimento,mas se podermos evitar seria melhor.

    Adorei o texto,além de engraçado é muito inteligente.

    Wagner Borella

    http://wagnerborella.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  48. KKKKKKKKKKKKKKKKK
    MUITO BOM MESMO TEXTO SHOW DE BOLA GOSTEI DE MAIS


    http://vocefazhistoria.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  49. realmente chingar é muito bom mesmo...
    sai toda a raiva do corpo...


    visita meu blog tambem

    g magazine - playboy - jogos mortais 5 - etc

    http://mestre-dos-downloads.blogspot.com

    ResponderExcluir
  50. realmente os palavrões estão aderidos ao nosso vocabulário!
    conheço umas garotas que são muito amigas e elas se chamam de puta, vadia, piranha, biscate, idiota.. Dizendo elas que é uma forma 'carinhosa' de se chamarem kkkkkkkk :x
    adorei seu blog, beijos :*

    ResponderExcluir
  51. Marquei teu blog no meu como "blogs que valem a pena"
    (:

    Adoro teu blog
    Parabéns!
    E obrigada pelas dicas de música, já baixei todas e adorei!

    ResponderExcluir
  52. Oi, Nat!

    Tem certas expressões que, como o palavrão, deixou de ter o significado literal para ser um momento de extravasar a raiva, uma interjeição no bom português. Acho que todo mundo fala quanddo fica com raiva. A sua análise foi perfeita nisso, parabéns!

    Nossa, fiquei tão feliz com seus comentários lá no Café com Notícias. Mais feliz ainda de saber que foi a autora do blog que entrei ontem e fiquei fascinado com a qualidade dos textos e análises. Muito obrigado por linkar-me aqui no seu blog. E, aos poucos, faço questão de voltar aqui para conferir sempre o seu trabalho.


    Abraço,

    =]
    ------------------
    http://cafecomnoticias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  53. ótimo desenrolar...
    falou por muita gente, haja vista os comentários.
    olha eu falando igual a um engomadinho...
    kkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir

EVITE ENTRAR PARA MINHA LISTA DE DESAFETOS:

Por favor, não gaste o meu tempo precioso, fazendo com que eu leia comentários do tipo "- Legal, passe lá no meu blog!", "Muito bom, adorei!", "Lindo seu blog, visita 'tá?'", "auhuhauhau" ou coisa parecida.

Não busco impressões de alguém que escreve como quem tem uma ejaculação precoce!

Kiso